Canonização de São Pedro Fabro

Pe. Adilson Feiler – SJ

Pedro Fabro nasceu no ano de 1506 em Villaret (Sabóia) aí passou a adolescência apascentando os rebanhos de seu pai. Em 1525 foi estudar em Paris, onde teve como condiscípulos Francisco Xavier e Inácio de Loyola, de quem foi o primeiro companheiro. Ordenado em 1534, foi o primeiro sacerdote da Companhia de Jesus. Por ordem do Sumo Pontífice percorreu grande parte da Europa e promoveu com muito fruto a obra da restauração católica, numa época em que a unidade da Igreja encontrava-se minada. Ainda que Fabro tenha permanecido à margem das disputas doutrinais, por seu zelo no apostolado de reforma da Igreja, se converteu em precursor do ecumenismo. Faleceu em Roma a 01 de agosto de 1546 e foi beatificado por Pio IX e, 1872. O atual pontífice, o Papa Francisco, o declarou Santo no dia 17 de dezembro de 2013. Francisco o fez através do processo chamado “canonização equivalente”, em que, por sua autoridade, estabelece o culto e a celebração litúrgica de um Santo à Igreja Universal comprovando-se certas condições, que no caso do Pedro Fabro distinguiu-se como modelo de vida sacerdotal e espiritual. A figura de Pedro Fabro inspira grandemente o exercício do múnus petrino do Papa Francisco sobretudo no que diz respeito ao diálogo com o diferente, ainda que distantes como adversários, através de piedade, disponibilidade e discernimento. Em seu memorial São Pedro Fabro registra algumas de suas impressões a respeito de Inácio de Loyola, com quem conviveu no mesmo aposento do Colégio de Santa Bárbara: “De fato, tendo Mestre João Pena decidido que eu ensinasse este santo homem, tive ocasião de conversar com ele, primeiro de coisas exteriores e, depois, da sua vida interior. E, como vivíamos no mesmo aposento, comíamos à mesma mesa e tínhamos a bolsa comum, e como ele era o meu mestre nas coisas do espírito e me dava possibilidade de penetrar no conhecimento da vontade divina e no meu conhecimento próprio, identificamo-nos finalmente nos desejos, na vontade e no firme propósito de escolher a vida que seguíamos agora, todos os que somos ou já foram membros desta Companhia, de que eu não sou digno.”
São Pedro Fabro é retratado ao centro nesta belíssima pintura dos Votos de Montmartre em 1534, que marca o início da Companhia de Jesus

PINTURA MURAL -IGREJA SÃO JOSÉ

Esta entrada foi publicada em Notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.